sábado, 19 de setembro de 2015

fado sempre retido




trago comigo o sentido
dum sonho nunca perdido
trago comigo a razão
dum barco a navegar
trago comigo tanto mar
fechado na minha mão.

trago comigo o desejo
no encontro do teu beijo
trago comigo o teu rosto
dum suave deslumbrar
trago comigo tanto amar
como o vinho ama o mosto.

trago as areias ao olhar
e as ondas que há no mar
trago búzios aos teus ouvidos
para me poderes escutar
trago comigo o luar
nos caminhos desferidos.

e para te querer tanto bem
como não há outro alguém
é porque o mereces também.

lmc